Seja bem-vindo(a) ao meu Blog. Sou Mário Jorge Lima, e abaixo estão textos meus, apresentados como sermões, palestras, ou simplesmente frutos de minhas reflexões pessoais.

Sou pai dessas 5 moças ao lado, Mariana, Isabela, Júlia, Laura e Luíza, a quem amo mais que a mim mesmo. Quando escrevo sobre assuntos espirituais, quando apresento palestras ou sermões, é primeiramente para elas e pensando nelas que estou escrevendo e falando.

Esses textos, atualizados sempre que eu os crio, e para isso não tenho uma periodicidade definida, são o legado escrito que deixarei a elas, sem erudição, sem proselitismo, sem "filosofismos". São as coisas em que de fato creio e pelas quais hoje vivo. Se Deus me der o tempo e a chance necessários, ainda pretendo escrever um livro com estas reflexões. Se não conseguir, elas estarão pra sempre aqui nesse Blog.

OBS: As palestras são organizadas com as mais recentes sempre no Topo.

Postado em: sábado, 31 de março de 2012

O Evangelho Segundo Isaías

Já faz algumas semanas que não atualizo as postagens desse Blog, o que pode passar a idéia errada de que o mesmo está abandonado. Mas, não está. Como é sabido, todas essas postagens aqui são frutos das palestras que apresento às sextas-feiras na Web, no programa Ponto de Encontro da Rádio Moema ao vivo, onde mantenho um quadro chamado Instantâneos do Reino, advindo daí o nome do Blog.

Acontece que, ultimamente, por força de outros projetos de evangelismo e viagens, não tenho comparecido ao programa. Muito provavelmente, este ano, minha participação no programa será mais rarefeita, talvez no máximo uma vez por mês. Mas, sempre que comparecer ao mesmo, como agora, a postagem será atualizada aqui no Blog.

As minhas falas, e consequentemente as postagens, a partir de agora também serão mais curtas, compactas, dando oportunidade a uma reflexão mais fácil de digerir e de reter na memória.

Estamos nos aproximando novamente da Semana dita Santa, ou seja, daquele período do ano em que normalmente, por tradição, comemos muito chocolate, principalmente na forma de ovos, nas refeições os pratos são mais à base de frutos do mar, peixes, bacalhau, carnes de ave, evitando-se, por tradição a ingestão das chamadas carnes vermelhas.

São todas tradições do cristianismo primitivo que, por sua vez vêm dos festivais pagãos da Primavera europeia. Os ovos, por exemplo, são símbolos da fertilidade e do renascimento, dessa forma, imagens associadas à ressurreição.

Para aqueles que querem viver um cristianismo mais consciente e prazeroso, essa época evoca principalmente o amor de Deus pelo homem pecador, a ponto de, segundo cremos pelo relato bíblico, subverter a Sua própria natureza, de Divina em humana, tornando-Se igual a nós. Arriscou-Se a sofrer todas as dores da humanidade, sendo feito pecado por nós, pagando diante do universo uma dívida que não tínhamos como pagar, morrendo uma morte que não tínhamos como morrer, e nos oferecendo isso como um presente de salvação.

Sendo assim, a Semana Santa, que basicamente se centraliza em seus dias principais, chamados Sexta-feira da Paixão, Sábado de Aleluia e Domingo de Páscoa, é acima de tudo um símbolo de Graça, Graça imensa e plena, Graça restauradora, que é capaz de declarar justo um homem pecador, que sabidamente não é justo.

Como gosto de fazer nessa época do ano, leio o livro do profeta Isaías. Ele foi o mais messiânico de todos os profetas do Velho Testamento. Viveu aproximadamente 750 anos antes de Cristo Jesus, era de família de classe alta, e tinha certa proeminência espiritual em seu tempo, no reino de Judá, o reino menor, das duas tribos. Segundo a tradição ele foi martirizado, tendo sido serrado ao meio no reinado do ímpio Manassés.

O livro de Isaias, que às vezes constitui uma leitura difícil e densa, é o mais evangélico de todos os escritos antigos. Aliás, ele é até mesmo uma representação simbólica de toda a Bíblia. Tem 66 capítulos, assim como a Bíblia tem 66 livros. Podemos dividi-lo em duas partes, onde a primeira tem exatamente 39 capítulos assim como o Velho Testamento tem 39 livros. Nesses 39 capítulos iniciais ele fala de julgamento, são textos bem sombrios.
Mas nos últimos 27 capítulos, ou seja, do 40 ao 66, ele fala de eventos novos e desconhecidos no Velho Testamento ate então, apresenta o programa divino para a paz e a restauração plena do reino de Israel, da mesma forma que o Novo Testamento. E mostra que isso tudo depende do sofrimento de uma pessoa especial: o servo sofredor, Jesus Cristo, homem de dores, nosso substituto, o Cordeiro de Deus.

Assim, o capitulo 53 de Isaias pode muito apropriadamente ser chamado de "o coração evangélico do Velho Testamento", talvez até o ponto culminante de toda a Escritura Sagrada antiga. Ele apresenta o mais completo retrato de Cristo Jesus e de seu trabalho redentor, vicário. Já foi dito que só Deus sabe quantos judeus já se enterneceram e vão ainda se converter no momento certo, pela leitura desse capítulo de Isaias. A escritora sacra Ellen White diz que esse capítulo 53 de Isaias deveria ser memorizado por todo cristão salvo pela graça.

Sendo assim, eu queria pausadamente transcrever pra vocês todo o capítulo 53 desse Evangelho segundo Isaías, são apenas 12 versículos. Meditar nessa obra poética e profundamente cristo-cêntrica, tem tudo a ver com esse período da Semana Santa e da Páscoa cristã.

Evangelho Segundo Isaías, 53:1-12.

“Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR?

Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer
nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos.

Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.

Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados.

Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.

Ele foi oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro, foi levado ao matadouro e, como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.

Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes e pela transgressão do meu povo foi ele atingido.

E puseram a sua sepultura com os ímpios e com o rico, na sua morte; porquanto nunca fez injustiça, nem houve engano na sua boca.

Todavia, ao SENHOR agradou o moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias, e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão.

O trabalho da sua alma ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si.

Pelo que lhe darei a parte de muitos, e, com os poderosos, repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.”

Que esse belíssimo texto das Escrituras Sagradas inspire você. Ele fala de intercessão, de justificação, de substituição. Desejo a você uma Feliz Páscoa, cheia da graça de Deus, um Deus perdoador, justo e compassivo.

Autor: Mário Jorge Lima