Seja bem-vindo(a) ao meu Blog. Sou Mário Jorge Lima, e abaixo estão textos meus, apresentados como sermões, palestras, ou simplesmente frutos de minhas reflexões pessoais.

Sou pai dessas 5 moças ao lado, Mariana, Isabela, Júlia, Laura e Luíza, a quem amo mais que a mim mesmo. Quando escrevo sobre assuntos espirituais, quando apresento palestras ou sermões, é primeiramente para elas e pensando nelas que estou escrevendo e falando.

Esses textos, atualizados sempre que eu os crio, e para isso não tenho uma periodicidade definida, são o legado escrito que deixarei a elas, sem erudição, sem proselitismo, sem "filosofismos". São as coisas em que de fato creio e pelas quais hoje vivo. Se Deus me der o tempo e a chance necessários, ainda pretendo escrever um livro com estas reflexões. Se não conseguir, elas estarão pra sempre aqui nesse Blog.

OBS: As palestras são organizadas com as mais recentes sempre no Topo.

Postado em: segunda-feira, 14 de julho de 2014

Rescaldo

Estava aqui fazendo minha meditação matinal, e pensando no final dessa Copa do Mundo de futebol, fazendo um rescaldo do que foi esse "incêndio". E fiquei tentando imaginar se, ao invés de alijado da competição de forma tão melancólica, o Brasil estivesse agora comemorando o dia-seguinte da conquista do Hexa-campeonato, provavelmente depois de uma noite de badernas, comemorações, excessos de todo tipo, a partir do apito final da partida de ontem.

As vidas dos jogadores, sem dúvida, estariam sendo diretamente afetadas por esse feito, pelo menos comercial e financeiramente. Novos salários, novos contratos de publicidade, transferências para novos clubes, muita badalação a nível internacional, fama, bens e fortunas.

Mas, e nós? Sem nenhum resquício de farisaísmo, sem querer apontar dedo pra ninguém, apenas pra mim mesmo, vieram-me algumas interrogações simples e lógicas, as quais me faço agora e nas quais muita gente deve estar pensando também.

Em que estaria melhor a minha vida, como ser humano, chefe de família, cidadão, trabalhador? O que significaria de fato pra mim haver uma estrela a mais no escudo oficial do futebol brasileiro? Que boas perspectivas, benefícios, vantagens reais isso estaria acrescentando à minha vida? Será que meus labores, projetos, estudos, relacionamentos, saúde, teriam sido positivamente afetados por uma vitória brasileira como campeões mundiais de uma modalidade esportiva?

Será que teriam valido a pena angústias, gritos, histerias, exageros, agressões, inimizades, grosserias, acidentes nos quais eu houvesse eventualmente me envolvido ao longo desses últimos 30 dias, em função desses jogos? Até onde é racional ou irracional minha disposição e orgulho em tripudiar sobre adversários vencidos? Aliás, essas questões são válidas em qualquer tipo de disputa.

E no plano espiritual, será que com isso teria eu crescido na graça, obtido mais conhecimento das coisas de Deus, minha fé teria sido aperfeiçoada, tornando-me melhor pessoa, pai, avô (estou feliz, soube que vou ser - rsrs), cônjuge, irmão, amigo, cidadão, cristão? Minha perspectiva de viver uma vida eterna teria melhorado, e minha esperança por um mundo melhor estaria fortalecida? São questões relevantes que sinto que Deus me deu hoje cedo. Não fiz essas perguntas pensando em ninguém, estou pensando na minha própria vida e da minha família.

Outra reflexão: ao longo dessa Copa perdi um amigo ceifado pela morte. Tenho amigos desenganados ou em fase terminal, com expectativas limitadíssimas de vida. Entrei nesse dia de hoje da mesma forma como entrei na vida: sem a menor indicação do que haverá, do que enfrentarei e do que me acontecerá no minuto seguinte. Coisa séria, não?

Quero já deixar claro que penso ser perfeitamente válido, até saudável, que eu aprecie qualquer modalidade esportiva, pratique, vibre com um bom lance, uma jogada perfeita. É prazeroso apreciar a arte de uma música executada com maestria, de uma dança esteticamente harmoniosa e bela, de um quadro com pinceladas geniais e inovadoras. Quem, que aprecie futebol, não gosta de ver um gol como o do xará Mario Götze, ontem? Todo dom, toda aptidão, todo talento, vem do "Pai das luzes". A unica reflexão adicional que faço pra mim, é até onde permito que isso afete meu comportamento e meus relacionamentos, com Deus e com meus semelhantes.

Quero deixar para mim e para todos aqueles que crêem na existência de um mundo espiritual uma reflexão conhecida das Escrituras:

"Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens." I Cor. 15:19.

Boa semana a todos. Parabéns aos nossos amigos alemães, e é claro, também, aos nossos "hermanos" argentinos. E vamos com Deus.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 14/Jul/2014.
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.